A vida de Pedro, Licenciado em Informática, Capricórnio, que decidiu embarcar na aventura de emigrar para a Suécia.

contacto

jogodasueca@gmail.com

resultados

Março 2014

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

termostato

Gotemburgo, Suécia
Ver previsões para Gotemburgo

Lisboa, Portugal
Ver previsões para Lisboa

Corunha, Espanha
Ver previsões para a Corunha
Sábado, 27 de Dezembro de 2008

A serenata de Oslo

É bom viver na Suécia. Destinos que antes estavam a muitos quilómetros de distância, ficaram de repente à distância de uma viagem de autocarro. Num fim de semana lá fui eu visitar um amigo português a Oslo, na Noruega.
 
Não havia muito que se visse na cidade por isso optámos por disfrutar da noite. E foi a loucura. Começámos por uma jantarada sem olhar a despesas (12€ por um menu big mac). Mandámos abaixo 2 cervejas (só uma cada um, parecendo que não 10€ por uma imperial é caro). Fomos bombar para a discoteca até esta fechar portas (leia-se: 3 da manhã). E perante uma noite tão animada, saímos para a rua ainda em espírito de festa.
 
No nosso percurso para casa eis que avistámos duas ninfas escandinavas. A vir na nossa direcção. Invadidos pelas saudades de Portugal veio à memória a serenata de Coimbra. E decidimos criar a versão norueguesa desta tradição tão nobre: Cantámos Joe Cocker nas nossas vozes bem afinadas...
 
"Yoooooooou are so beautiful, to me.... Can't you seeeeee?"
 
Elas, encarnando o espírito de rapariga portuguesa que é cortejada: não ligaram a tamanha demonstração de afecto e passaram por nós sem ligar nenhuma.
 
Nós, de coração despedaçado: alterarámos a letra para que percebessem a amargura que nos ia no coração...
 
"Yoooooooou are so ugly, to me..."
 
Elas, inesperadamente: vieram ao nosso encontro para pedir explicações e possivelmente partirem para a violência.

Nós, surpreendidos por tanto carinho: Metemos o rabo entre as pernas e refugiámo-nos na casa do meu amigo.
 
Elas, lá da rua: começaram a cantar a sua própria serenata para nós dois.
 
Nós, já no apartamento: fomos espreitar à janela para ver a demonstração de amor.
 
Elas, apaixonadas: lá permaneciam em baixo... A dedicar-nos a sua serenata. Sem guitarrista. Sem traje académico. Sem cantiga. Gritando apenas palavras pouco agradáveis e mostrando toda a sua fúria com gestos.
 
Bonita, a serenata de Oslo.

jogado por jogo da sueca às 06:15
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (13) | favorito
|
Segunda-feira, 20 de Outubro de 2008

Azar de principiante

O Nuno. Foi uma das primeiras pessoas que devo ter conhecido por causa do Jogo da Sueca. Ele foi estudar para Gotemburgo, e naturalmente acabámos por nos encontrar um dia. Recordo que foi engraçado falar com um português e ver que algumas coisas que eu já dava por normais, ainda causavam estranheza a um recém-chegado.

 

- Pedro, não percebo os suecos.
- O que é que eles tramaram desta vez?
- Eu cheguei à minha residência universitária e como não conhecia ninguém fui bater às portas dos outros quartos.
- Espera lá, tu fizeste mesmo isso?
- perguntei eu a já a adivinhar que não tinha sido boa ideia
- Sim, fiz. Eu apresentava-me, dizia que tinha acabado de chegar e que ia viver com eles na residência. E eles ficavam a olhar com um ar estranho.
- Estranho como?
- Parecia que não entendiam porque raio é que eu me ia apresentar. Mas pronto, pior mesmo foi quando bati num quarto em que me atendeu uma rapariga.
- Oh não Nuno... O que é que tu fizeste?
- indaguei eu já quase na certeza de que tinha cometido o mais comum dos erros de principiante
- Então, para a cumprimentar ia-lhe dar dois beijos mas ela saltou para trás assustada e estendeu-me a mão.


 

jogado por jogo da sueca às 03:11
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (19) | favorito
|
Sexta-feira, 10 de Outubro de 2008

Na Suécia, se estiverem numa discoteca a abarrotar...

... e forem empurrados violentamente por uma pessoa que quer passar não reajam com maus modos. É que é perfeitamente possível que seja uma rapariga que quer passar.

jogado por jogo da sueca às 07:58
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (2) | favorito
|
Sexta-feira, 5 de Setembro de 2008

A violência infantil

Era um daqueles raros dias solarengos na Suécia. Tudo corria na perfeição. As crianças brincavam e riam na rua. Os pássaros chilreavam. Os parques estavam mais verdes que nunca. E, acreditem ou não, até consegui convidar uma sueca, a Ida, para ir aproveitar o dia comigo... O plano era promissor: íamos comer um gelado na esplanada e depois... logo se via!

 

Lá nos encontrámos. O tema de conversa acabou por cair sobre a violência infantil. Ela estava a fazer um trabalho em que tinha de comparar a violência infantil no Norte e no Sul da Europa. Como tal o meu ponto de vista interessava-lhe...

 

- Pedro, o que achas da violência infantil?

 

- Ora, acho muito reprovável. Não há direito a bater em crianças. Elas são indefesas. - impressionei-a desde logo. Afinal onde já se viu um macho latino com tanta sensibilidade?!

- E é costume em Portugal abusar das crianças com violência? Conheces algum caso? 

- Bom, claro que há casos de violência. Felizmente não conheço nenhum, mas acontece ouvir histórias tanto nos noticiários como por amigos. 

 

- Fico contente por não estares a par de casos de violência infantil. Acreditas que li num artigo que em Itália os pais batem aos filhos para os educar?! 

- Ahhhhhhhh espera lá isso estamos a falar de outra coisa! Isso não é violência!

 

- O quê?! - interrompeu surpresa - Tu achas normal bater numa criança?!

- Oh Ida mas isso não é bater, isso é educação. Quando uma criança se porta mal tem de ser repreendida - disse eu com tom paternal - e uma palmada nunca fez mal, pois não? - perguntei-lhe piscando o olho

- Mas Pedro… alguma vez te deram uma palmada? - perguntou-me completamente chocada

- Ohhhh minha amiga... Se me deram uma palmada... Ainda hoje a minha mãe guarda com muito carinho a colher de pau com que me dava uns açoites... E por pouco não sou do tempo em que os professores davam reguadas nas mãos dos alunos que se portavam mal! - respondi com nostalgia

 

A conversa terminou por ali. Ela foi para casa. Eu fiquei na esplanada a acabar de comer o gelado (e o gelado quase inteiro que ela lá deixou, que por acaso tinha um sabor bem melhor do que o meu).

jogado por jogo da sueca às 07:51
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (60) | favorito
|
Sexta-feira, 18 de Abril de 2008

Suecos, onde estão?

Regressei a Portugal, mas a vontade de saber mais sobre a cultura sueca não ficou adormecida.

Assim, um dos próximos objectivos é ter aulas de sueco, aqui mesmo em Portugal. É uma das melhores formas de continuar a aprender mais sobre esta cultura.

Enquanto não me inscrevo continuo de ouvido atento cada vez que passeio por Lisboa. Se encontrar pessoas suecas será sempre uma boa oportunidade de praticar um pouco mais a língua.

Ora... o que é que eu estou a ouvir ali? Soa estranho. Chego mais perto... Bolas, alemão. E ali naquela ponta da rua, são tão branquinhos, deixa-me cá fazer uma aproximação... Ahhhh, são ingleses! E aqueles? Não são portugueses de certeza. Hmmmm... que azar, esta língua soa a polaco.

Assim tem sido desde que voltei a Portugal. Nem um sueco. Claramente Lisboa não está no seu top de destinos.

As esperanças acabaram-se.

Um dia destes lá ia eu todo acelerado a subir as escadas rolantes do metro e... Espera lá que lingua estranha é que estou aqui a ouvir? Abrandei o passo. Parei à frente de duas raparigas e fiquei a olhar especado. Assim mesmo, tipo parvo, junto a elas, olhando fixamente sem me dar conta da figura que estava a fazer.

- Desculpe passa-se alguma coisa? - perguntou-me uma das raparigas em inglês

(pausa comigo especado ... ... ... ... enquanto entretanto o percurso das escadas rolantes termina e eu quase caio)

- Vocês... vocês são suecas? - perguntei eu arriscando um não como resposta, que me tiraria ainda mais credibilidade
- Sim, somos. - respondeu uma delas meio desconfiada
- Que fixe! E estão de visita ou vivem aqui?
- Eu vivo aqui e a minha amiga está a visitar-me - respondeu ela com o ar de quem tem um psicopata à frente e por isso não quer dizer muito mais. Eu tinha de me lembrar de alguma coisa que não as fizesse fugir de mim.
- Pode parecer estranho estar a meter conversa convosco, mas o que se passa é que estava desesperado para encontrar suecas.

Ooops. Acabei de me armar em psicopata outra vez. Próxima tentativa.

- Não me fiz entender. Não ando desesperado à procura de suecas por serem loiras, giras e boas.

Hmmmm... pela cara delas nem esta explicação está a funcionar. Vou tentar pela via do humor. É sempre bem recebido.

- Vamos lá a ver, até porque vocês claramente não são como essas suecas.

Estranho. Não acharam piada. E se antes pareciam intimidadas agora parecem furiosas. Já não me restam alternativas... Vou seguir pela última alternativa. Pouco credível, mas não custa tentar.

- É que eu já vivi na Suécia e agora gostava de encontrar pessoas suecas que vivam por aqui. Só por curiosidade, de que cidade é que vocês são?
- Gotemburgo, conheces? - responderam-me já bem mais aliviadas depois da minha explicação
- Claro, foi precisamente aí que vivi! - Repliquei em sueco
- Ahhhh e falas sueco!!!
- Sim, mas pouco. Ando à procura de aulas. Por acaso não conhecem nenhum sítio em Lisboa onde se possa aprender?
- Claro, eu sou professora! - disse-me indicando a escola - vemo-nos por lá!
jogado por jogo da sueca às 06:56
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (35) | favorito
|
Quarta-feira, 31 de Outubro de 2007

Na Suécia deixei de pedir bebés emprestados aos amigos...

... com a finalidade de engatar miúdas. Por aqui a igualdade de direitos é levada a sério e ver homens sozinhos com carrinho de bebé - seja a fazer compras, nos transportes públicos ou a passear em parques - é a coisa mais natural do mundo.
jogado por jogo da sueca às 10:06
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (3) | favorito
|
Sexta-feira, 12 de Outubro de 2007

As consequências de não saber falar Sueco


Ilustrado por / Illustrated by: Richard Câmara


Lamento. Continuo a não saber falar Sueco. Tudo o que sei resume-se a dizer números, juntamente com algumas expressões e palavras úteis.
No entanto, durante o almoço de hoje com a malta da empresa, o chefe decidiu testar os meus dotes linguísticos perante todos, e perguntou-me:

- Varmi funfe finte remti xina hou? - isto não é Sueco, é apenas o que eu consigo apanhar do que o meu chefe perguntou
- Quatro! - repliquei eu com confiança
- Gamfu femna rundra mirone semti?! - acrescentou ele
- Sim... Quatro...centos! - corrigi eu, sem perceber nada do que se passava

Os meus colegas riam efusivamente. Eu estava de tal forma perdido, que limitava-me a sorrir só para dar uma ideia de permanecer com o ego em alta. Quando as gargalhadas terminaram alguém me fez a tradução do nosso diálogo:

- Então Pedro, quantas Suecas é que já comeste?
- Quatro!
- O quê?!
Já comeste 4 Suecas diferentes?!
- Sim... Quatro...centas!

 

 

The consequences of not speaking Swedish
I’m sorry. I still don't speak swedish.
All I can say is numbers, and some useful words  and expressions.
But during the lunch with the collegues of the office, my boss decided to test my linguistic skills in front of everyone, asking:

- Varmi funfe finte remti xina hou? – this is not Swedish, its just what I got from his question
- Four! – i replied confidently
- Gamfu femna rundra mirone semti?! – he added
- Yeah... Four...hundred! – I corrected, completly lost on the conversation.

Everyone was laughing out loud. I was so lost, that I just smiled to seem I was in control of the situation. When everyone stopped laughing, someone translated our dialog:

- Pedro, with how many Swedish girls did you get laid?
- Four!
- What?! You got laid with four Swedish girls?!
- Yes... Four...hundred!!

jogado por jogo da sueca às 09:06
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (8) | favorito
|
Segunda-feira, 24 de Setembro de 2007

Sei porque é que o mito da Sueca existe quando...

... descubro uma canção sobre uma rapariga Sueca, que canta sobre a sua vida. Claro está que sendo Sueca:

  • chama-se Inga
  • é loira, gira e bem constituída
  • está em Ibiza armada em maluca nas festas
  • tem muito amor para dar

À parte da letra, a música é requintada e o videoclip apresenta efeitos especiais dignos de um estúdio de Hollywood. Resumindo este trabalho numa palavra: ARREBATADOR.

 

Pesquisei mais informações sobre a artista mas infelizmente não consegui encontrar. Quaisquer pistas que tenham sobre o seu trabalho ou paradeiro, contribuam nos comentários.

 

E fica o vídeo. Deliciem-se.

  

 

jogado por jogo da sueca às 23:31
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (49) | favorito
|
Quinta-feira, 19 de Julho de 2007

Técnica de engate na Suécia

Quando o meu irmão, o Nuno, me visitou na Suécia apresentei-lhe o Hector, Mexicano. Este apressou-se a explicar-lhe a sua técnica de engate nas discotecas locais:
- Então é assim Nuno, vês uma rapariga que gostes e vais dançar para o pé dela. Depois ficas lá algum tempo a marcar o ponto. Quando vires que está na altura certa dizes-lhe que te vais embora e perguntas se não quer ir contigo.
- Mas isso funciona assim tão facilmente?
- Epá, não. Mas se ela vier excelente, se não vier aqui não dão chapadas.
jogado por jogo da sueca às 11:03
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (14) | favorito
|
Quarta-feira, 27 de Junho de 2007

As consequências de não falar Sueco

Lamento. Continuo a não saber falar Sueco. Tudo o que sei resume-se a dizer números, juntamente com algumas expressões e palavras úteis.
No entanto, durante o almoço de hoje com a malta da empresa, o chefe decidiu testar os meus dotes linguísticos perante todos, e perguntou-me:

- Varmi funfe finte remti xina hou? - isto não é Sueco, é apenas o que eu consigo apanhar do que o meu chefe perguntou
- Quatro! - repliquei eu com confiança
- Gamfu femna rundra mirone semti?! - acrescentou ele
- Sim... Quatro...centos! - corrigi eu, sem perceber nada do que se passava

Os meus colegas riam efusivamente. Eu estava de tal forma perdido, que limitava-me a sorrir só para dar uma ideia de permanecer com o ego em alta. Quando as gargalhadas terminaram alguém me fez a tradução do nosso diálogo:

- Então Pedro, quantas Suecas é que já comeste?
- Quatro!
- O quê?! Já comeste 4 Suecas diferentes?!
- Sim... Quatro...centas!
jogado por jogo da sueca às 17:57
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (9) | favorito
|
Quinta-feira, 14 de Junho de 2007

Como não consigo arranjar uma Sueca...

... peço orientação sentimental ao sabido Manel, típico emigrante português de 50 anos, e ele aconselha-me condescendentemente:
Epá... Se não arranjas gajas manda mas é uns hotmails e arruma-as!

jogado por jogo da sueca às 20:33
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (1) | favorito
|
Terça-feira, 12 de Junho de 2007

O fim do mito da Gaja Sueca

Rapazes, aqui está um vídeo bem ilustrativo do que esperar na Suécia. Feito por uma Sueca, sobre as Suecas.

Depois de tantos anos a cultivar a imagem da mulher Sueca, para muitos este vídeo será uma surpresa desagradável.

Pois bem, eu da minha parte digo: a realidade fica aquém do mito. Mas mesmo assim não há lugar para muitas queixas!

Fica o vídeo.

 

 

jogado por jogo da sueca às 11:46
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (4) | favorito
|
Sexta-feira, 1 de Junho de 2007

Descubro que até é bom os Suecos serem reservados porque...

... finalmente posso ser um mirone profissional sem ser apanhado. Como a tradição sueca diz que é desrespeitoso olhar para estranhos, aqui posso apreciar à vontade as gajas suecas que passam por mim na rua. De alto a baixo. Atentar aos detalhes. Virar-me para trás e apreciar de um novo ângulo. Podem ter a certeza que ninguém está atento à triste figura.
jogado por jogo da sueca às 12:21
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (1) | favorito
|
Segunda-feira, 9 de Abril de 2007

Sinto que o mito das Suecas afinal é real quando...

... saio à noite em Estocolmo.

Este post é dedicado aos demasiados amigos cujo tipo de conversa minimalista que insistem em ter comigo é:

Amigo diz: Então tudo bem?
Pedro diz: Tudo, e contigo?
Amigo diz: Também. Então e as suecas estão boas?

Pois bem, o mito da Sueca loira, burra e fácil não passa disso mesmo. Um mito. A mistura de culturas na Suécia é mesmo muito grande e as loiras não são assim tantas.

No entanto ainda estou para entender o fenómeno da noite Sueca. Não sei de onde aparecem tantas loiras. E a noite de Estocolmo é o expoente máximo.

Deixo-vos algumas fotos da noite e da discoteca em que estive em Estocolmo.

E deixo uma mensagem importante: pessoas demasiado sensíveis não devem seguir a leitura deste post. A sério. Choro, cabeça a deambular insististentemente da esquerda para a direita com os olhos fixos no ecrã, e o grito "MAS PORQUÊ???" ou "MAS COMO???" são alguns dos sintomas.

Tenham cuidado.






















As cartas foram mal baralhadas. Os adversários têm trunfos a mais para o meu jogo.
jogado por jogo da sueca às 09:57
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (5) | favorito
|
Terça-feira, 27 de Março de 2007

Continua-me a fazer espécie cada vez que...

... vejo uma Sueca loira, alta, bonita e bem constituída a cuspir para o chão.
jogado por jogo da sueca às 13:23
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (7) | favorito
|
Quinta-feira, 1 de Março de 2007

Sinto-me o Rei do Sexo quando...

... me dou conta que ao saudar uma Sueca com dois beijos na cara, estou a fazer algo com um sentido extremamente sexual.
jogado por jogo da sueca às 14:28
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (1) | favorito
|
Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2007

É oficial

Miúda alta, que vinha no comboio da manhã. Miúda de cabelos semi-longos, ondulados, castanhos mas a fugir para o aloirado. Miúda de olhos esverdeados, muito claros. Miúda gira, muito gira, quero aqui tornar oficial o meu pedido. Casas comigo?

Está mais que visto. Sou obrigado a assistir a copas *suspiro*

jogado por jogo da sueca às 08:48
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (2) | favorito
|
Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2007

Descubro que não devo ser cavalheiro na Suécia quando...

... me apresentam a alguma rapariga e não posso saudar com dois beijos na cara

... nos transportes públicos tenho a gentileza de deixar sair uma senhora à minha frente e ela fica embasbacada à espera que eu passe primeiro

... na fila do supermercado digo a uma senhora para me passar à frente porque só vai comprar 1 produto, e ela fica muito espantada com a minha oferta e recusa

... num centro comercial entro por uma porta e fico a segurá-la para deixar uma senhora que vinha na minha direcção entrar, e ela abre a porta imediatamente ao lado

jogado por jogo da sueca às 16:58
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (3) | favorito
|
Domingo, 18 de Fevereiro de 2007

Ser assediado por 5 pitas na Suécia é...

... estar muito bem no vosso cantinho na paragem do eléctrico e começar a receber uns olhares meio estranhos

... ouvir palavras completamente aleatórias em Alemão, Francês, Espanhol e Inglês.

... elas verem que as estratégias anteriores não resultam e colocarem num dos telemóveis uma música muito fanhosa cuja mensagem principal todas fazem questão de cantar bem alto: "lick my pussy"
jogado por jogo da sueca às 16:51
link do post | pôr carta na mesa | ver cartadas (1) | favorito
|

mais sobre mim

pesquisa

Google

parceiros de jogo

China Ociosidade

China Ruinix em Shangai

Espanha Deu canyes

Inglaterra Dama do Ocidente

Inglaterra Tuga em Londres

Pelo mundo allAround

Pelo mundo Até onde vais com 1000 euros

Pelo mundo Mind this gap

Pelo mundo Tempo de Viajar

Polónia Site do Tiago

Rússia Da Rússia

Suécia Borboleta Pequenina

tags

todas as tags

subscrever feeds