40 comentários:
De stefany a 27 de Dezembro de 2008 às 15:15
Os valores transmitidos aos alunos?
Se você estiver preocupado pelos valores e a pedagogia saiba que no olhar "gringo" (eu não me considero gringa porque na minha língua é sinonimo de yanqui e pode ser peyorativo) o que fica mais marcante é o poco cuidado que os brasileiros tem com a propria língua. Se alguém assiste à televisão vai se deparar com uma serie de erros principalmente de concordancia singular e/ou plural. Há um abuso da expressão "a gente", uma falta do "r" nos verbos em infinitivo, o que vira u, e que vira i . Exemplo, eu vou comer vira "eu vu cumé". Parece um dialecto não adianta estudar futuro nem subjuntivo pois ninguén usa. "è nóis" existem seres que acham bonito falar errado e os medios de comunicação apoiam. Na escola que dou aula de inglês e espanhol meu chefe fala que de todos os professores a qe envia emails melhor redigidos sou eu. Aprendí português, gosto de morar aquí porem não consigo assistir o jornal sem perceber erros, erros e mais erros. Desculpem o desabafo. Eu tento fazer minha parte transmitindo os valores que me ensinaram no Porto Rico as freiras canadenses da minha escola lá.
De jogo da sueca a 29 de Dezembro de 2008 às 23:49
olá Stefany,

Compreendo a revolta, mas não entendo bem de que forma está relacionada com o post :)

De qualquer forma a televisão nunca foi propriamente a melhor influência no que toca a correcção da língua falada...
De stefany a 31 de Dezembro de 2008 às 02:24
Ola,
Talves eu não soube me explicar claramente. Cite a televisão como mais um exemplo de lugar onde todo o que diz respeito a língua e cultura aparece com maior força, visto que está na casa de todos os brasileiros. Os estereótipos também. Agora, posso dizer que sim, alguns materiais didácticos carregam algumas marcas de estereótipos quase sempre bem disfarçados não somente em contextos actuais senão e principalmente sobre épocas remotas.
De Ismael F. a 25 de Fevereiro de 2009 às 20:11
De fato, um "brilhantismo" julgar a todos com base em alguns! Parabéns...
De Eguti a 5 de Setembro de 2010 às 07:10
Excelente comentário!
De Ismael F. a 25 de Fevereiro de 2009 às 20:22
Stefany, generalizando, demonstras que você falando (ou escrevendo) corretamente o português não passa longe dos ignorantes de cá! E se há pessoas que falam errado ou certo, depende muito da educação que tiveram, o que me deixa irritado é que mesmo pessoas que tem a oportunidade de ter acesso aos melhores centros culturais e educacionais do mundo ainda julguem as pessoas de uma forma tão violenta e medíocre como esta, pense bem antes de falar de um país, de um povo, de uma nação... aprenda a respeitar e depois tire suas observações, Portugal nem os portugueses podem falar muito do Brasil e muito menos dos brasileitos.
De jogo da sueca a 27 de Fevereiro de 2009 às 11:52
Olá Ismael, como vai?

Concordo na generalidade com o que disse. É um erro pegar num caso particular, e generalizar para um povo.

Peço por favor que leia o meu comentário neste post de 13 de Dezembro de 2008 às 11:03. Lá explico o porquê do título do post.

No entanto, permita-me por favor fazer uma constatação um pouco provocativa.

No seu comentário diz "aprenda a respeitar e depois tire suas observações, Portugal nem os portugueses podem falar muito do Brasil e muito menos dos brasileiros".

Entendo perfeitamente a sua revolta. Cada povo sabe de si. Mas então porque critica apenas este post, e não critica a equipa envolvida na edição deste livro? Eles não fizeram exactamente a mesma coisa que me está a criticar de fazer?
De Ismael F. a 27 de Fevereiro de 2009 às 17:56
Não foi minha intenção concordar com a ignorância de quem escreveu tal livro, não o critiquei porque já tinham criticado, o que não concordei foi com a forma com que foi feita, existem maneiras mais inteligentes de se fazer uma crítica ainda mais se forem construtivas...

Saudações!
De Eguti a 5 de Setembro de 2010 às 07:15
Do Rio de Janeiro agradece uma brasileira que não apenas admira Portugal em especial, como também estará em porcos meses morando em Gotemburgo.

Levando um bebê sueco-brasileiro para nascer em terras estranhas.

Minha admiração a você!
De eguti a 5 de Setembro de 2010 às 07:17
E por falar em erros, deixe-me retificar: poucos*
antes que seja submetida a qualquer tipo de crítica preconceituosa...hahaha

mandar uma cartada