22 comentários:
De Alexandre Kulcinskaia a 23 de Dezembro de 2008 às 13:54
Isto faz lembrar aqueles filmes em que a principio tudo parece muito mas mesmo muito perfeitinho mas depois a perfeição começa a ser demais e deixa de ser tentativa de perfeição para começar a ser obsessão para no fim a obsessão se transformar num caos pior do que quando não se tentava alcançar a perfeição.
Para mim um homem é um homem e uma mulher é uma mulher. Por muito forte que seja uma mulher, eu acho por exemplo, que o trabalho de uma pedreira não seria o mesmo que um pedreiro. Se quiserem chamar de machismo, tudo bem.
Parabéns pelo destaque no Blogs do Sapo.
_____________________________
http://kulcinskaia.blogs.sapo.pt/
De jogo da sueca a 23 de Dezembro de 2008 às 22:21
Viva Alexandre!

Obrigado pelo contacto! Espero voltar a ver-te por aqui :)
De Cloux a 12 de Julho de 2009 às 11:09
Não mesmo! O trabalho de uma pedreira é muito mais limpo e caprichoso... Admiro o povo sueco que sabe que em termos de atividades profissionais, não existe trabalho feminino ou masculino, existem apenas aptidões e como tais podem ser desenvolvidas por qualquer pessoa, independentemente do gênero.
http://rjtv.globo.com/Jornalismo/RJTV/0,,MUL469231-9106-2,00-MULHERES+PEDREIRAS.html
Outras culturas, outros aprendizados, com a mente aberta as sociedades evoluem. Concordo que todo extremismo precisa ser evitado, mas há muito a aprender com as coisas boas que são possíveis de observar nas sociedades.

mandar uma cartada